Solidão Palavra



Quando líquidos abraços
tragados pela sede
e o conforto translúcido de imagens me faz,
respira-te por mim.
Enquanto peço ao olhar alto a madrugada
em panos de jamais esquecer.
Atua seu papel, sem ao menos importar
ou perguntar se não lhe cabe,
não seria justo.
Então ela nos observa brandamente ao mesmo tempo, como deveria,
me convenço como é tudo perfeito.

Comentários

Ricardo Vieira disse…
E tudo é...
Daimon disse…
Oi.
Há quanto tempo!
As tuas obras continuam fantásticas!

Penso que daqui a pouco tempo terás uma surpresa no blog Nocturnus para ti.

Muitos beijos Nocturnus de Portugal.

Postagens mais visitadas